O que é?

Missão da Rede Social

A Rede Social é um fórum de articulação e congregação de esforços baseado na adesão por parte das autarquias e de entidades públicas ou privadas com vista à erradicação ou atenuação da pobreza e da exclusão e à promoção do desenvolvimento social. Pretende-se fomentar a formação de uma consciência colectiva dos problemas sociais e contribuir para a activação dos meios e agentes de resposta e para a optimização possível dos meios de acção nos locais.

O que se propõe é que em cada comunidade se criem novas formas de conjugação de esforços, se avance na definição de prioridades e que em suma se planeie de forma integrada e integradora o esforço colectivo através da constituição de um novo tipo de parceria entre entidades públicas e privadas com intervenção nos mesmos territórios. Esta parceria baseia-se na igualdade entre os parceiros, na consensualização dos objectivos e na concertação das acções desenvolvidas pelos diferentes agentes locais.

 

Objectivos

O Programa Rede Social tem como finalidade combater a pobreza e exclusão social numa perspectiva de promoção do desenvolvimento social.
Desta finalidade decorrem os seguintes objectivos estratégicos:


- Desenvolver uma parceria efectiva e dinâmica que articule a intervenção social dos diferentes agentes locais;
- Promover um planeamento integrado e sistemático, potenciando sinergias, competências e recursos a nível local e supra concelhio;
- Garantir uma maior eficácia do conjunto de respostas nos concelhos e freguesias.

Pretende-se assim com este Programa:


- induzir o planeamento estratégico participado;
- promover a coordenação das intervenções ao nível supra concelhio, concelhio e de freguesia;
- procurar soluções para os problemas das famílias e pessoas em situação de pobreza e exclusão social;
- formar e qualificar agentes envolvidos nos processos de desenvolvimento local, no âmbito da Rede Social;
- promover uma cobertura adequada do concelho por serviços e equipamentos;
- potenciar e divulgar o conhecimento sobre as realidades concelhias.

 

Princípios subjacentes à intervenção em rede

- Subsidariedade - é no território, no local que os problemas têm que ser resolvidos, é próximo das populações que se deve actuar de uma forma concentrada, articulada e preventiva ( territorialização da intervenção social)
- Integração - as intervenções devem ser integradas e multisectoriais para responder eficazmente ao carácter multidimensional dos fenómenos da pobreza e exclusão social. No incremento de projectos locais de desenvolvimento integrado, a rede apela à participação de todos os intervenientes locais e à congregação dos recursos de todos, para a resolução dos problemas sociais;
- Articulação – A acção dos diferentes agentes com actividade num território deve ser articulada, através do desenvolvimento do trabalho em parceria, da cooperação e da partilha de responsabilidades ;
- Participação – O combate à pobreza e à exclusão social, numa perspectiva da promoção do desenvolvimento social, é tanto mais efectivo quanto resulte de um processo amplamente participado;
- Inovação – As intervenções sociais devem criar dinâmicas de inovação nos processos de trabalho e nas práticas, caminhando para a descentralização efectiva dos serviços e para formas de actuação que motivem a participação das comunidades locais.