Inform@ 

 

 

 

 

 


Suporte de Informação Digital destinado às IPSS’s do Distrito de Beja       

           

 

NEWSLETTER                                                            EDIÇÃO N.º 14 de 08 de Abril de 2011

NOTÍCIAS                                                                                                                     

Campanha Direito à Alimentação arranca hoje

Restaurantes de Lisboa, Entroncamento e Santa Maria da Feira oferecem a partir de hoje refeições diárias a famílias com dificuldades, depois de um levantamento feito pelas autarquias no âmbito da campanha Direito à Alimentação. Os restaurantes daqueles três concelhos oferecerão um número fixo de refeições semanais completas a famílias carenciadas que são identificadas pelos serviços de ação social das autarquias. "Os restaurantes não vão dar sobras, mas vão oferecer um número fixo de pratos solidários por dia, dentro das suas possibilidades", explicou a porta-voz da campanha Direito à Alimentação, Fernanda Freitas. A campanha Direito à Alimentação é uma iniciativa da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e conta com o alto patrocínio do Presidente da República e a colaboração da Fundação Calouste Gulbenkian. Nesta fase piloto, oito restaurantes do Entroncamento vão disponibilizar cinco refeições por dia, todos os dias da semana, a dez famílias carenciadas. Em Santa Maria da Feira aderiram 30 restaurantes que vão disponibilizar cinco refeições diárias. "Os departamentos de ação social das autarquias, em conjunto com Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e de voluntariado, fizeram um levantamento das pessoas mais necessitadas, dando prioridade às famílias com crianças, a idosos isolados e pessoas portadoras de alguma deficiência", disse Fernanda Freitas. "Não há nada que identifique as pessoas como carenciadas. Apenas os restaurantes e as famílias sabem que aquele é um serviço solidário. As famílias chegam lá, identificam-se e recebem o apoio em take-away. Não queremos causar nenhum constrangimento às famílias. Esta nova pobreza é muito envergonhada e não queremos que se inibam de ir ao restaurante, nem que tenham um rótulo", disse. Depois de "algumas semanas" desta fase piloto nestes três municípios, a campanha Direito à Alimentação vai fazer "uma avaliação" dos procedimentos para "poder melhorar alguns pormenores" e avançar com outros concelhos. A agência Lusa tentou obter o número de restaurantes que aderiram ao projeto e de famílias que seriam beneficiadas em Lisboa mas não obteve resposta até ao momento. Fonte: DESTAK Data: 04-04-2011

1.500 Profissionais vão receber formação ao abrigo de protocolo com a Gulbenkian

Mil e quinhentos profissionais da rede de cuidados continuados vão receber formação em cuidados paliativos e serão criadas quatro equipas domiciliárias no Porto, Planalto Mirandês e Mértola, através de um protocolo entre o Ministério da Saúde e a Gulbenkian. O protocolo entre a Fundação Calouste Gulbenkian, a Unidade de Missão para os Cuidados Continuados Integrados (UMCCI) e o Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa para o desenvolvimento de projetos na área dos cuidados paliativos é assinado hoje no Porto, dia em que se assinala o Dia Mundial da Saúde. Através deste acordo será desenvolvido um programa de apoio na área da formação sobre dor destinado a médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde das unidades de internamento e das equipas integradas domiciliárias da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI). Em declarações à agência Lusa, a coordenadora da UMCCI lembrou que um dos objetivos do Programa Nacional de Cuidados Paliativos é “aumentar as respostas à população, tanto ao nível do internamento como, sobretudo, ao nível das respostas domiciliárias nas diversas regiões do país”. Para isso, explicou Inês Guerreiro, “é necessário dar formação aos profissionais para terem capacidades de prestar cuidados de conforto e de alívio de sofrimento” às pessoas com “doenças graves, incuráveis e degradação progressiva”. Para a responsável, a formação destes profissionais na área da dor é “fundamental para a humanização e para a qualidade da prestação de cuidados” de saúde. “O controlo da dor deve ser encarado como uma prioridade no âmbito de cuidados de saúde de elevada qualidade”, defendeu. Além da formação destes profissionais em três anos, este protocolo vai também permitir “reforçar as equipas domiciliárias de cuidados paliativos”, disse Inês Guerreiro, lembrando que apenas existia uma equipa específica para esta área e agora vão passar a ser cinco. As quatro novas equipas irão funcionar em diferentes unidades de saúde: Hospital de São João (Porto), Unidade Local de Saúde de Matosinhos, Planalto Mirandês e Baixo Alentejo, mais precisamente em Mértola. Pretende-se que estas equipas possam dar resposta a 100 doentes por ano. “A Gulbenkian paga os recursos humanos e a formação destas equipas para poderem ir ao domicílio tratar dos doentes”, explicou. Estes projetos são em parceria com as autarquias, os centros de saúde locais e as instituições de solidariedade social e são uma “grande ajuda” para a RNCCI, porque alarga a sua área de influência relativamente aos cuidados paliativos, acrescentou. Inês Guerreiro adiantou que a rede de cuidados continuados tem atualmente 165 camas de cuidados paliativos a nível de internamento e cerca de 50 equipas no domicílio, que também prestam cuidados paliativos. Cabe à Gulbenkian contribuir financeiramente para os projetos, ficando a sua posterior manutenção na alçada das respetivas Administrações Regionais de Saúde (ARS), refere o protocolo a que a Lusa teve acesso. Fonte: Correio do Minho Data: 07-04-2011

 

LEGISLAÇÃO

 

Nas séries de hoje do Diário da República não foram encontrados diplomas que se enquadrem nas temáticas habitualmente divulgadas.

 

 

 Comunicado do Conselho de Ministros de 7 de Abril de 2010

 

 

 

 

 

SEMINÁRIOS/CONFERÊNCIAS

II Congresso Internacional de Estudos Interculturais

Data: 25 a 27 de Maio; Local: ISCAP, Porto.

Seminário Ibérico “O Papel do Voluntariado nas Políticas Sociais”

Data: 28 de Abril; Local: Teatro Municipal Pax-Júlia, Beja.

Informações: Informações: Telef.: 284 325 744 ou E-mail: n.beja@reapn.org.

IV Jornadas Assumar “O Acolhimento Institucional na Multideficiência”

Data: 29 e 30 de Abril; Local: Centro de Recuperação de Menores D. Manuel Trindade Salgueiro, Portalegre.

Ciclo de Conversas Interculturais "Às voltas com... a família na Diversidade"  

Data: 13 de Maio; Local: Sociedade Musical Capricho Setubalense.

XXII Encontro Nacional de “Psiquiatria da Infância e Adolescência”

Data: 18 a 20 de Maio; Local: Vila Nova de Gaia.

 

FORMAÇÃO

Acção de Formação “Apanhar Sol por Dentro: Uma abordagem criativa à terceira idade”

Data: 14 e 15 de Abril; Local: IPJ, Beja.

Informações: Telef.: 284 325 744 ou E-mail: n.beja@reapn.org.

Pós-Graduação “Intervenção com Pais”

 

Data: Início a 15 de Abril; Local: Coimbra.

Acção de Formação “Reformular a intervenção com famílias pobres: desenvolver práticas colaborativas”

Data: 14, 15, 20 e 21 de Abril; Local: Figueiró dos Vinhos.

Informações: Telef.: 244 837 228 ou E-mail: Leiria@eapn.pt.

Acção de Formação “Dependências: Intervenção Individual e Familiar”

Data: Início a 19 de Abril; Local: Lisboa.

Pós-Graduação “Crimes Sexuais e Profiling

 

Data: Início a 7 de Maio; Local: Porto

 

 

Próximas Efemérides:

 

 

 

ABRIL DE 2011

 

 

11 – Dia Mundial da Doença de Parkinson

 

17 – Dia Mundial do Hemofílico

 

18 – Dia Mundial dos Sítios e Monumentos

 

22 – Dia Mundial da Terra

 

 

 

 

                DESTAQUES MENSAIS

                 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TEMPO

 

Idosas. Quatro em cada dez foram vítimas de abusos

Filhos são os principais perpetradores de negligência e abuso físico, revela estudo da Universidade do Minho Quatro em cada dez mulheres com mais de 60 anos sofreram algum tipo de abuso nos últimos 12 meses. Embora os cônjuges sejam os principais responsáveis pelos abusos emocional, sexual e financeiro, os filhos são os principais suspeitos de negligência e abusos físicos. Em mais de metade dos casos de negligência (54,7%) e 42,1% dos casos de abusos físicos, a vítima é mãe do autor. Estes são alguns dos resultados de um estudo da Escola de Psicologia da Universidade do Minho sobre violência e abusos contra mulheres idosas, que no sábado será apresentado no Porto pela investigadora e co-autora do estudo Ana João Santos. A investigação centrou-se num inquérito a 649 mulheres com idades entre os 60 e os 79 anos, entre Maio e Junho de 2010. Os resultados permitem ainda concluir que só um terço das mulheres idosas maltratadas relatou o abuso a alguém e que os maus--tratos tiveram consequências na saúde mental da esmagadora maioria das vítimas. A tensão, o sentimento de impotência, a depressão e dificuldades em dormir são as consequências dominantes, mas ainda há 28,9% das mulheres a admitirem, por exemplo, sentir culpa por terem sido vítimas. Mais de 60% dizem sentir vergonha e 37,5% confessam sentir medo. Açores formam técnicos Apesar de as denúncias de maus-tratos contra idosos terem aumentado 300% entre 2009 e 2010 nos Açores, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) vai formar este mês 40 técnicos que trabalham em instituições nas áreas da saúde e apoio a pessoas idosas, como centros de dia e lares, em São Miguel e na Terceira. A APAV entende que os crimes de violência contra idosos aumentaram na sequência de "uma maior consciencialização para estes casos" e tenciona continuar a investir na formação, já que "os idosos raramente efectuam a denúncia" e são estes técnicos "quem mais próximo está de poder identificar situações de crime". A formação pretende despertar os técnicos para a necessidade de prevenção não só de situações de violência doméstica, mas também de "outras que não são tão facilmente detectadas", como é o caso do "internamento num lar sem o consentimento do idoso, a apropriação de reformas ou o excesso de medicação", explica Helena Costa, da APAV/Açores. A técnica alerta para a tendência dos idosos de se remeterem ao silêncio por os crimes serem cometidos por familiares de quem dependem e por haver "pouca consciência de que decisões como a da gestão de uma reforma ou de um internamento num lar não poderem ser tomadas sem o consentimento do idoso". Nos casos em que os pedidos de entrada em lares são feitos por pessoas ainda autónomas, os sentidos dos técnicos devem ficar imediatamente de alerta. "Há idosos que são internados, por exemplo, na sequência de uma doação forçada dos seus bens patrimoniais", alerta Helena Costa, que defende que "a entrada em qualquer lar devia obrigar à assinatura de um termo de consentimento" para evitar internamentos forçados. Apesar de muitos casos de internamento dos idosos açorianos não reflectirem negligência da família - já que em muitos casos os familiares emigraram -, os lares "deveriam ser sempre a última alternativa", na perspectiva da responsável pelo gabinete da APAV nos Açores. Os centros de dia e o apoio domiciliário "permitem que a pessoa se sinta mais integrada na comunidade e não seja afastada repentinamente do seu espaço e das suas rotinas". Fonte: Ionline Data: 07-04-2011

                                                                    OUTRAS NOTICIAS

 

Sete arrumadores começam terça-feira a trabalhar como jardineiros

Segurança Social encerra lar de idosos ilegal em Évora

Mais de 65 mil portugueses destacados para trabalho na Europa

Mais de 4.000 sobre-endividados pediram ajuda à DECO no 1ºT

 

 

PUBLICAÇÕES/EVENTOS

Cuidar de idosos com dependência física e mental

Carlos Sequeira Lidel. Lisboa, 2010

 

Assuntos: Pessoas idosas / Pessoas com dependência / Envelhecimento / Cuidados às pessoas idosas / Prestadores de cuidados / Cuidados informais

 

Classificação: Envelhecimento / Dependência

 

 

 

 

 

Infância na Europa

(N.º 19, Julho/Dezembro) Associação de Profissionais de Educação de Infância, prop. APEI. Lisboa, 2010.

 

Relacionar-se com a natureza – Wilma Schepers, Ine van Liempd. O espaço exterior em Bodø. Incentivar mais a actividade física ao ar livre em Bodø – Dagfinn Krog. O exterior da escola: um mundo cheio de possibilidades – Carme Cols. Vamos brincar em Bruxelas – Cécile Duvivier. Normas legais das dimensões do espaço exterior por criança. A centralidade do jogo na promoção da saúde – Fredrika Mårtensson.(…)

 

Ousar Integrar.

Revista de reinserção social e prova (N.º 6 Ano 3, Maio) Direcção-Geral de Reinserção Social, prop DGRS. Lisboa, 2010 Reincidência de jovens infractores na Comunidade de Madrid – José Luis Graña Gómez, Vicente Garrido Genovés e Luis González Cieza.Transições para a vida adulta entre os jovens de um bairro social – Alexandre Silva e Fernando Luís Machado.Bullying - agressividade em contexto escolar – Luísa Carrilho e Teresa Bacelar.“Prisão sem grades”: factores para o sucesso da medida

 Disponível online.

 

Publicação do Instituto da Segurança Social, I.P.

Pretextos N.º 40

Dezembro de 2010

Destaques: SCORE RH vence Prémio de Boas Práticas no Sector Público; Encontro Nacional Horizontes de Mudança na Violência às Pessoas Idosas; Um caminho para melhores Respostas Sociais; MTSS celebra acordo de cooperação com Instituições de Solidariedade Social; Candidaturas à 7ª Edição do Prémio de Jornalismo Famílias na Comunicação Social; 6ª Edição do Prémio de Jornalismo A Família na Comunicação Social; entre outros.

LINKS

Plataforma Supra Concelhia do Baixo Alentejo

                    

                         

Se desejar receber a ISS INFORM@ por favor contacte: Claudia Seita CDSSBeja  e-mail: claudia.m.seita@seg-social.pt

Instituto da Segurança Social, I.P. – Centro Distrital de Segurança Social de Beja

Rua Professor Bento de Jesus Caraça, n.º 25, 7801-951 Beja , Tel. 284 312 700 -  Fax. 284 329 618 - Email: cdssbeja@seg-social.pt