Inform@ 

 

 

 

 

 


Suporte de Informação Digital destinado às IPSS’s do Distrito de Beja       

           

 

NEWSLETTER                                                            EDIÇÃO N.º 16 de 21 de Abril de 2011

NOTÍCIAS                                                                                                                     

Patrões portugueses são menos qualificados que empregados

A escolarização dos empregadores portugueses está abaixo do nível dos trabalhadores empregados. Mais de 70% do total de empregadores não foi além da escolaridade obrigatória (9.o ano). Isto quando apenas 63% dos trabalhadores portugueses empregados por conta de outrem não passaram esse nível. Além disso, e embora continuemos a registar os trabalhadores empregados menos qualificados dos 27 países da União Europeia, a melhoria entre estes tem sido maior que a registada entre os patrões portugueses. De 2000 a 2009, a taxa de empregados com qualificações entre o analfabetismo e o 9.o ano caiu 12 pontos percentuais, de 73,9% para 62,3%. Já a queda no lado dos empregadores não chegou aos 10 pontos, passando de 81,1% para 71,3%. Este foi um dos principais problemas referidos ontem por Maria João Valente Rosa, directora do portal Pordata, a propósito do lançamento do livro "Retrato de Portugal - 2009", online desde ontem. A proporção é explicada pela realidade do tecido empresarial português, composto em 99% por empresas com menos de 250 trabalhadores. Segundo Maria João Rosa, "é deste tipo de empresas que falamos quando olhamos para estes números [de escolarização]". A educação é um dos "sérios bloqueios em sectores muito importantes" em Portugal. "Partimos muito tarde, o que significa que temos que andar mais depressa que outros países para os apanhar", disse aos jornalistas, acrescentando que "se calhar a resposta [a este problema] está lá fora. É preciso atrair pessoas qualificadas." Mas há factores que afastam esse investimento no país, como é o caso da justiça, referiu. Segundos dados publicados no livro, os tribunais portugueses estão cada vez mais lentos: por cada 100 processos findos, mais de 184 ficam pendentes. O indicador tem vindo a piorar consideravelmente: em meados dos anos 90, esta percentagem rondava valores abaixo dos 80% - por cada 100, 80 ficavam pendentes.

 Fonte: Ionline Data: 21-04-2011

Acções previstas em Portugal durante o Ano Europeu do Voluntariado e Cidadania Activa

Centenas de Actividades e projectos ao longo do Ano do Voluntariado em toda a União Europeia. Em Portugal serão coordenadas pelo (…) CNPV, presidido por Elza Chambel e por uma Comissão Nacional de Acompanhamento do AEV (…) presidida pela jornalista Fernanda Freitas.

 

Mais informação em: www.voluntariado.pt

 

 

LEGISLAÇÃO

Portaria n.º 164/2011. DR 76 SÉRIE I de 2011-04-18

MTSS: Segunda alteração à Portaria n.º 128/2009, de 30 de Janeiro, que regula as medidas «Contrato emprego-inserção» e «Contrato emprego-inserção+».

                                                               

 

 

 

SEMINÁRIOS/CONFERÊNCIAS

II Congresso Internacional de Estudos Interculturais

Data: 25 a 27 de Maio; Local: ISCAP, Porto.

                                                                 

Seminário Ibérico “O Papel do Voluntariado nas Políticas Sociais”

Data: 28 de Abril; Local: Teatro Municipal Pax-Júlia, Beja.

Informações: Informações: Telef.: 284 325 744 ou E-mail: n.beja@reapn.org.

                                                               

IV Jornadas Assumar “O Acolhimento Institucional na Multideficiência”

Data: 29 e 30 de Abril; Local: Centro de Recuperação de Menores D. Manuel Trindade Salgueiro, Portalegre.

                                                               

Conferências do Estoril “Desafios Globais, Respostas Locais”

Data: 4 a 6 de Maio; Local: Centro de Congressos do Estoril.

                                                               

Ciclo de Conversas Interculturais "Às voltas com... a família na Diversidade"  

Data: 13 de Maio; Local: Sociedade Musical Capricho Setubalense.

                                                               

XXII Encontro Nacional de “Psiquiatria da Infância e Adolescência”

Data: 18 a 20 de Maio; Local: Vila Nova de Gaia.

FORMAÇÃO

Workshop “Pesquisa Social sobre Deficiência: Abordagens Metodológicas e Instrumentos de Investigação

Data: 6 de Maio; Local: Fundação Calouste Gulbenkian.

Informações: E-mail:drpi-pt@iscsp.utl.pt ou Telef.: 21 360 04 26

                                                               

Pós-Graduação “Crimes Sexuais e Profiling

 

Data: Início a 7 de Maio; Local: Porto

                                                               

Acção de Formação “Componentes dos Referenciais de Qualidade das Respostas Sociais”

Data: 9 e 10 de Maio; Local: Beja.

Informações: Telef.: 284 325 744 | E-mail: n.beja@eapn.pt.

                                                               

II Workshop “Segurança Comportamental”

Data: 12 de Maio; Local: ISCTE, Lisboa.

                                                               

Acção de Formação “Fábrica de Ideias: Como Inovar nos serviços Públicos”

Data: 2 e 3 de Junho; Local: Oeiras.

                                                               

Acção de Formação “A Adaptação da Gestão e Organização do Trabalho no Código do Trabalho” 

Data: 8 de Junho em Lisboa e 14 de Junho em Vila Nova de Gaia.

Próximas Efemérides:

 

 

ABRIL DE 2011

 

 

11 – Dia Mundial da Doença de Parkinson

 

17 – Dia Mundial do Hemofílico

 

18 – Dia Mundial dos Sítios e Monumentos

 

22 – Dia Mundial da Terra

 

 

 

                DESTAQUES MENSAIS

                 

 

 

TEMPO

 

Um quarto das crianças está nas redes sociais sem protecção

Um quarto das crianças registadas em redes sociais como o Facebook ou o Hi5 definiram o seu perfil como público: ou seja, os seus dados de perfil podem ser vistos por qualquer pessoa que clique no seu nome na rede. Um quinto dessas crianças cujo perfil está publicamente disponível indica mesmo dados tão privados como a sua morada e o seu número de telefone. Os dados, resultantes de um inquérito realizado para a Comissão Europeia junto de 25 mil jovens de 25 países europeus, levam os responsáveis pela Agenda Digital para a Europa a reforçar a urgência de tornar as redes sociais mais seguras e a exigir àquelas empresas que restrinjam o acesso aos perfis dos menores. "Todas as empresas de redes sociais devem, de imediato, predefinir os perfis dos menores de modo a que fiquem acessíveis apenas para uma lista aprovada de contactos e fora do alcance dos motores de pesquisa. As empresas que ainda não assinaram os princípios para tornar as redes sociais mais seguras na UE devem fazê-lo sem demora, a fim de garantir a segurança das nossas crianças", sublinhou, a propósito do estudo, Neelie Kroes, vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pela Agenda Digital para a Europa. Uma vez que as crianças que utilizam as redes sociais são cada vez mais novas e "muitas não tomam as precauções necessárias para se protegerem em linha", Neelie Kroes acredita que a primeira solução para evitar que essas crianças fiquem vulneráveis a práticas de assédio e aliciamento passa pelas empresas de redes sociais, que devem ter responsabilidade na ocultação dos perfis dos menores. A Comissão Europeia está desde 2009 a acompanhar a aplicação dos princípios para tornar as redes sociais mais seguras na União Europeia. No acordo de auto-regulação, as empresas de redes sociais comprometem-se a aplicar medidas para garantir a segurança dos menores, mas os resultados do inquérito mostram que há redes sociais tão populares como o Facebook ou o MySpace que ainda não aplicaram aqueles princípios de segurança. Perante esses dados, a Comissão Europeia decidiu lançar uma avaliação dos actuais acordos de auto-regulação das empresas nesta área.

O estudo publicado pela rede EUKidsOnline revela que 77% dos jovens dos 13 aos 16 anos e 38% das crianças dos 9 aos 12 anos têm um perfil registado numa rede social. França é o país em que a percentagem das crianças dos nove aos 12 na rede é menor - 25% - enquanto os Países Baixos lideram a lista, com 70% a admitirem ter um perfil registado. São as crianças dos nove aos 12 os que menos têm preocupações de privacidade na rede: em 15 dos 25 países, a percentagem de crianças dessas idades com perfis públicos é superior à dos jovens dos 13 aos 16 anos. E se mais de três quartos (78%) dos jovens dos 15 aos 16 dizem saber como mudar os parâmetros de privacidade, apenas 56% dos jovens com 11 e 12 anos sabem como alterar o seu perfil. A média das crianças dos nove aos 12 anos que têm mais de cem amigos na rede social situa-se nos 15%, mas a percentagem triplica entre as crianças húngaras: 47% afirmam ter mais de cem contactos no seu perfil. A percentagem dos 13 aos 16 anos belgas, dinamarqueses, gregos, húngaros, italianos, neerlandeses, noruegueses, polacos, suecos e britânicos com mais de 100 contactos é superior à dos jovens dos restantes países. Fonte: Ionline Data: 19-04-2011

 

                                                                     OUTRAS NOTICIAS

 

Números da execução orçamental são divulgados hoje

 

Famílias começam a abrandar consumo de bens alimentares

 

FMI impõe horários flexíveis nas empresas

 

Cinco mil por dia põem Loja do Cidadão no limite

 

IEFP diz que queda no desemprego não mostra inversão de tendência

 

Carreiras exigentes prejudicam a vida familiar

 

FMI vai mexer nas reformas

 

PUBLICAÇÕES/EVENTOS

Boletim de inserção

 

Rendimento Social de Inserção

Departamento de Desenvolvimento Social

Instituto da Segurança Social. Lisboa, 2010.

 

Assuntos: Rendimento social de inserção / Programas de inserção

 

Classificação: Medidas de Inclusão Social

 

 

A pobreza das crianças

 

Realidades, desafios, propostas

Manuel Jacinto Sarmento, Fátima Veiga, org.

Debater o social, 6. Húmus. Vila Nova de Famalicão, 2010.

 

Assuntos: Pobreza / Crianças em risco / Crianças da rua / Política social / Luta contra a pobreza / Exclusão social / Direitos da criança / Condições de vida / Análise comparativa

 

Classificação: Pobreza / Exclusão Social ¨ Políticas da infância e Juventude

 

Revista portuguesa de pedagogia

 

Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, porp.

Imprensa da Universidade. Coimbra, 2010.

 

LINKS

Plataforma Supra Concelhia do Baixo Alentejo

                    

                         

Se desejar receber a ISS INFORM@ por favor contacte: Claudia Seita CDSSBeja  e-mail: claudia.m.seita@seg-social.pt

Instituto da Segurança Social, I.P. – Centro Distrital de Segurança Social de Beja

Rua Professor Bento de Jesus Caraça, n.º 25, 7801-951 Beja , Tel. 284 312 700 -  Fax. 284 329 618 - Email: cdssbeja@seg-social.pt